O escritor: Lucas Feat


Lucas tem 26 anos e uma de suas habilidades é criar punctuns em fotografias. Além de trabalhar como fotógrafo, ele já foi DJ, locutor de rádio, diagramador e resenhista. Em 2012 editou uma revista produzida especialmente para a 1ª Bienal do Livro e da Leitura, em Brasília. E também colocou as mãos em colaborações para o blog da editora Cosac Naify sobre a coleção fotográfica Photo Poche. O próximo passo é capturar os contos que vem escrevendo dentro de um livro. Assim como faz com as imagens.



O site: http://www.lucasfeat.com.br



As narrativas breves em película: Lucas mantém a câmera pendurada no pescoço enquanto se dedica a duas tarefas. Além de estar escrevendo o roteiro de quadrinhos Sertanejo Sangrento, agora prepara uma coletânea com pequenas tragédias como esta:



Quando a sorte lhe sorri mas faltam dentes em sua boca


Uma ex-interna do hospital St. Lawrence que ingeriu grandes quantidades de coqueteis para controle da aids fora visitar uma paciente da clínica psiquiátrica nas imediações da Street Boulevard, nas primeiras horas da manhã de 13 de agosto de 1991. Ao chegar ao pátio, no local específico, detectou o desaparecimento do seu maço de cigarros. Então, de súbito, trancou-se no banheiro, abriu sua mochila e insuflou no granito. Ao decorrer de quarenta minutos houve seu último sangramento nasal.

 Às 13h46, cerca de seis horas depois, uma paciente do mesmo hospital psiquiátrico encontrava-se recostada ou agachada ou apenas levemente reclinada junto à parede que separavam os jardins de uma rua acinzentada pela névoa de inverno, debruçando o queixo contra os joelhos, sentindo tremores febris e vômitos intermitentes. Ela observava um dos funcionários da clínica que acendia um cigarro e invariavelmente também coçava o nariz com muita energia, utilizando quase toda extensão de seu braço, enquanto sua face adormecia, seus olhos piscavam sem sono e sua língua azulava devagar.

O diagnóstico mais confiável aqui é que o funcionário da clínica, pacificamente distraído com uma colônia de formigas, nunca percebera que uma boa percentagem dos pacientes já havia morrido por ali.