A edição em couro com tradução em espanhol de Marcelino freire, em frente ao Teatro Colón.

A edição em couro com tradução em espanhol de Marcelino freire, em frente ao Teatro Colón.


De cachecol e portuñol en riste, o escritor Marcelino freire deu entrevista à seção literária da Télam – a Agência Nacional de Notícias da Argentina. O autor falou sobre Contos Negreiros (Record), seu livro de narrativas breves que levou o prêmio Jabuti de Literatura em 2006 e que acaba de ganhar uma hermosa edição pela Santiago Arcos Editorial. A entrevista lança uma mirada externa sobre trabalho literário de um escritor que, segundo o entrevistador, vem de “una localidad pequeña del desierto enorme y empobrecido del interior de Brasil, al norte, ahí donde letra y música es siempre una de manera extraña, donde la cultura popular no distingue entre poetas y músicos, es igual, es lo mismo, las canciones se declaman en la vida cotidiana despojadas de instrumentos más allá de la voz y los textos también”. Vale a pena ouvir as reverbeções que vem do lado de fora. Lee pues (acá)!